Dicas
03 set 2018

Arte de carnaúba em destaque na A Casa, Museu do Objeto Brasileiro

Exposição inédita mostra o trabalho com palha de carnaúba de artesãs que convivem com a seca

Mostra “A Casa AMA Carnaúba” é uma parceria entre a água AMA e A CASA museu do objeto brasileiro; Projeto começou com o acesso à água em comunidades do semiárido e busca o desenvolvimento da região

Arte de carnaúba em destaque na A Casa, Museu do Objeto Brasileiro

O talento de artesãs que trançam com maestria a palha de carnaúba, árvore nativa do semiárido, será apresentado na exposição A Casa AMA Carnaúba, a partir de 5 de setembro, em São Paulo. Bolsas, mesas, luminárias, pufes, cestos, tapetes e outros objetos exclusivos são feitos manualmente pelas moradoras do Vale do Jaguaribe, a cerca de 180 quilômetros de Fortaleza, Ceará. A exposição é uma parceria da A CASA museu do objeto brasileiro com AMA, água mineral que investe todo seu lucro para levar água às famílias do semiárido e ajudar no desenvolvimento da região.

Capacitação de artesãs

No início de 2018, AMA e A CASA começaram um trabalho de capacitação e inovação do artesanato feito com palha de carnaúba com cerca de 90 artesãs em Sítio Volta, Sítio Caiçara e Santa Luzia, além das cidades vizinhas Itaiçaba e Palhano. Sítio Volta e Sítio Caiçara, no município de Jaguaruana foram as primeiras comunidades atendidas por AMA. Por lá, a marca de água construiu poços profundos e sistemas de distribuição de água gerados por energia solar. No trabalho de capacitação, as artesãs aprenderam sobre processo de criação e precificação das peças e participaram de oficinas de trançado, tingimento e costura.

A parceria com A CASA ajudou a aprimorar o artesanato típico do semiárido e garantir um valor agregado maior para as peças vendidas. Há mais de 20 anos o museu paulista promove o artesanato brasileiro com exposições e ações em diferentes comunidades, compartilha conhecimento e, principalmente, valoriza a diversidade de técnicas tradicionais encontradas em cada região do país. O museu convida designers de artesanato que trazem a produção artesanal tradicional para o contemporâneo, mas sem que haja alterações nas técnicas já dominadas pelo artesão.

Novas criações, mesmo talento

O designer de artesanato Renato Imbroisi, que trabalha há 30 anos com comunidades, cooperativas e associações, assina a curadoria do projeto. A coordenação é de Eliane Guglieme e a supervisão de Renata Mellão, diretora geral d’A CASA. “O que mais me surpreendeu nesse projeto foi o envolvimento da comunidade e o potencial de transformação local que pudemos proporcionar a eles”, revela Renata. Desde o início do ano, o trio uniu-se às designers Liana Bloisi, Cristiana Pereira Barreto, Lui Lo Pumo e Tina Moura, e ao mestre-artesão João de Fibra. Nos últimos meses, o grupo trabalhou com as artesãs para que as peças fossem produzidas com novas cores, diferentes tipos de trançado, grafismos e maior variedade de produtos.

“Em alguns desses locais, as artesãs restringiam sua produção a chapéus e vassouras. A partir desse trabalho, em pouquíssimo tempo, elas se aperfeiçoaram e expandiram sua produção, multiplicando sua cartela de produtos e, consequentemente, seus retornos”, completa o curador Renato Imbroisi.

Com o trabalho nas cinco comunidades, o projeto proporcionou a troca de saberes e experiências entre os pequenos povoados. Cada uma delas ficou responsável por coleções específicas. Enquanto algumas produziram peças com a fibra natural para a fabricação de bolsas, mesas e bancos, outras especializaram-se na criação de cestos, de diferentes tamanhos e modelos. Já as artesãs de Itaiçaba e Palhano criaram produtos feitos com palha de carnaúba tingida: são luminárias, pufes, cestos, tapetes e esteiras de cores vivas. Todas as peças estarão à venda na exposição.

Todo o projeto, desde a capacitação das artesãs até os objetos da mostra, está registrado no livro A CASA AMA Carnaúba, que também estará disponível no museu.

A Carnaúba
A carnaúba é símbolo de resistência e longevidade. A árvore é nativa do bioma caatinga e consegue se adaptar ao clima semiárido da região por suas raízes profundas. Dela se aproveita tudo: folhas, tronco e raiz. Sua madeira é utilizada na construção de casas e algumas peças de marcenaria; suas raízes, segundo a cultura popular, tem propriedades medicinais.

Das folhas, além da palha que é utilizada para o artesanato, extrai-se a cera de carnaúba, matéria-prima utilizada na composição de produtos para polimento, lubrificantes, vernizes, tinturas e cosméticos. Esse tesouro nordestino é, ademais, sustentável: todos os possíveis processos de utilização de seus recursos não são agressivos ao meio ambiente e as árvores preservam o solo contra a erosão.

Sobre o museu 
Há mais de 20 anos, A CASA museu do objeto brasileiro realiza projetos junto a comunidades e associações de artesãos de várias regiões do País. A instituição, que não possui fins lucrativos, tem como missão o reconhecimento, a valorização e o desenvolvimento da produção artesanal e do design brasileiro. Com o objetivo de preservar a memória cultural desses ofícios e preservar técnicas únicas, o museu busca transmitir e multiplicar as tradições de cada região e, consequentemente, gerar rendas às comunidades.

Vamos começar a valorizar mais nossos museus e visitar com mais frequência? Fica a sugestão para ir já essa semana!

Serviço
A CASA AMA Carnaúba
Abertura: 5 de setembro de 2018, às 19h
Visitação: de 6 de setembro a 4 de novembro de 2018
Endereço: Avenida Pedroso de Morais, 1216 – Pinheiros, São Paulo, SP
Horário: de terça a domingo, das 10h às 18h30

DIY
12 jun 2018

Primeiro mini tear de parede: passo a passo

Na última semana, em pernadas por São Paulo, fui visitar a loja Zôdio Brasil para buscar novos desafios manuais. Estou numa fase de querer experimentar novos projetos e hobbies e uma loja gigante de materiais seria perfeita para me fazer descobrir novidades. Uma das coisas que trouxe ora casa foi um kit de mini tear. Sou super apaixonada por mini tear de parede, aqueles tipo flâmulas em que a tecelagem recebe diferentes detalhes, como fios de algodão natural, plantas, desenhos. Esse seria meu primeiro desafio!

Cheguei em casa super animada com a novidade e tratei de iniciar a primeira experiência e registrar para esse post! Vamos ver como ficou e as etapas de criação?

No kit para tecer vem tudo que usei já vinham as lãs, o fio para estrutura do tear, o pente, tear, navete e agulha. Para esse projeto, só acrescentei um hashi de comida japonesa e a folha artificial que também comprei na mesma loja na área de terrários e arranjos.

Passo a passo do mini tear dessa tecelã super amadora:


1. Passar barbante ou linha branca para estrutura da trama.

2. Com o pente de madeira com a cor escolhida, passar linha a linha intercalando pra baixo e pra cima.

3. Dar um nó ao fim da linha para troca de cor!

4. Para criar a forma triangular ao fim, finalizar a linha cada vez um fio branco a menos, criando a diagonal.

5. Retirar do suporte, amarrar as pontas, como não deixei fios sobrando, diz as franjas à parte.

6. Passar o pauzinho, colocar a folha e linha para pendurar!🙋🏼‍♀️ Fim!

Decoração
15 maio 2018

Tape art para decorar ambientes corporativos e casas

A tape art é um movimento artístico que surgiu nos anos 1960 quando artistas decidiram trocar tintas por fitas adesivas, inclusiva a fita isolante. Desde então, esse tipo de expressão artística tem se espelhado mundo a fora e, agora, é muito utilizada na decoração de ambientas corporativos, casas e personalização de objetos.

Além de fácil de fazer, a tape art fica bonita em diversos ambientes. E o melhor é que qualquer pessoa pode fazer: basta fita, tesoura e criatividade. A tape art não está restrita apenas para as paredes. A arte com fitas pode ser realizada também em janelas, portas e até faixadas de prédios. Tudo depende do tipo de fita utilizada na obra para obter a melhor fixação e maior tempo de vida para a arte escolhida.

Continue Lendo >>

Materiais
15 jan 2018

Conhecendo a Zôdio Brasil

No finzinho de 2017, a Zôdio Brasil abriu suas portas em São Paulo. A irmã craft e caçula da Leroy Merlin, uma rede francesa de lojas de artesanato, decoração e festas, foi recebida com festa pelo público amante de trabalhos manuais. Eu fiquei ansiosa por semanas, até chegar a minha vez de fazer um passeio por seus corredores, adquirir alguns produtos e registrar minhas impressões aqui para o blog!

Quer saber o que achei e meus destaques? Corre pra ver o post aí abaixo!

Ó lá nós dois prestes a explorar a grande loja craft Zôdio Brasil

Antes mesmo de pisar na super loja de artigos para criação, eu já sabia o que me esperava tamanho foi o auê nas redes sociais em sua chegada e abertura no Brasil. Já tinha em mente que produtos de diferentes técnicas não faltavam e o que mais chamava atenção eram ambientações, áreas de ateliê e produções para apresentar uso de materiais de insumo. Nada disso é comum em lojas do segmento brasileiras, então, só por isso já vale a visita! Logo ao entrar na loja essa impressão bacana se confirmou: a loja capricha na decoração e o tamanho e variedade de setores é de fazer os olhos se arregalarem! Quer saber mais? Bora pros destaques que não são poucos!

Um passeio gringo em SP

O que mais me chamou a atenção foi a possibilidade de encontrar marcas, produtos e técnicas que antes só era possível vermos em lojas estrangeiras. Podem falar do preço (nada é realmente em conta) mas a chance de vermos produtos culinários, peças para terrário, velas e aromas, lãs, canetas, feltros, apliques, materiais para festa, tudo em um só lugar e com carinha de passeio em NY ou Paris, é legal demais!

Há pouco tempo atrás muitas das marcas e das técnicas presentes nunca nem eram vistas no Brasil e agora podem servir como inspiração, despertar para um novo hobby, estimular um novo projeto. Nem sempre é possível comprar tudo, pode ser mais caro, mas só de podermos ver usos, enxergar aplicações ou ver de perto produtos tendência que antes só o Pinterest mostrava por aqui, é tão válido! Quem ama tendências e descobertas no mundo da decoração, festa e craft certamente vai andar sorrindo como eu pelos corredores da super loja.

Sotaque francês, oui oui

Assim como a Leroy Merlin, a rede Zôdio é francesa. E isso pode ser percebido não só na estética de muitos produtos e projetos artesanais em seus corredores, como em algumas marcas e também sotaque francês de seus vendedores. Além da equipe local, um time de funcionários franceses veio apresentar seu savoir-faire por aqui e transmitir a essência da marca para os novatos da nova unidade do Brasil. Legal isso. não? Mostra que a marca trouxe de fato seu branding e é tão original quanto as unidades francesas.

Setores favoritos

Nessa visita, fui acompanhada de um baby curioso e impaciente (mas que amou o passeio!) e não pude focar por muito tempo em cada área. Mas consegui passar por todas e muitas me chamaram atenção! Deu vontade de voltar com um projeto completamente novo na cabeça e mergulhar em materiais e novas técnicas, sabe? Mas dessa vez, explorei bastante o setor de festa para buscar detalhes para o aniversário de um ano do filhote (muitos kits e balões e temas lindos!), amei explorar o corredor de arranjos de plantas artificiais – as suculentas são perfeitas! – e fiquei super curiosa com a infinidade de formas, letras e animais para pintar ou forrar com papel ou tinta. E isso é só petisco! Dá para se jogar no mundo do tear, das essências, da patisserie.

Saí de lá com vontade de voltar mais muitas vezes! E com essa visão: de um passeio em uma loja estrangeira em que podemos ter acesso a um monte de materiais e produtos diferentes sem comparar preços com lojas de materiais ou armarinhos brasileiros. Não vejo os programas como similares e nem concorrentes. A Zôdio é um lugar para se inspirar, aprender novos hobbies e encontrar aquele material que amou no Instagram da bloogger de fora ou viu naquele ambiente lindo no Pinterest! Vai com essa ideia na cabeça e é certo que vai sair dando joinhas!

Ah, para quem ficou interessada na parte de cursos nos ateliês, na fanpage da marca tem uma agenda com as atividades dos próximos dias. Vai que sua visita calha em uma aula legal! Fique de olho por lá ou no Instagram Zôdio Brasil!

Espero voltar em breve e mostrar mais descobertas por aqui!

E você já foi? O que achou?

Endereço: Avenida Pres. Castelo Branco, 6061 – Parque Res. da Lapa, São Paulo (fica sobre a Leroy não tem erro!)

Inspirações
20 out 2017

Empreendedorismo com dreads têxteis

Você já ouviu falar sobre dreads têxteis? A técnica artesanal criativa consiste em criar fios mais finos ou mais grossos usando fios e aparas de tecido para desenvolvimento de bijuterias. E é essa a base das peças criativas e autorais da marca Mil Fios que trago hoje para o blog! Garimpar histórias de marcas empreendedoras é tão legal!

Então, desvendar o que está por trás de produtos e negócios criativos é algo que quero deixar mais constante entre as postagens. Vamos saber mais sobre quem faz a Mil Fios, como surgiu, seus produtos e expectativas? Acompanhe abaixo e já pode babar nas cores e modelos de colares!

Motivação e surgimento da marca

A marca é um empreendedorismo feminino, resultado da união de duas amigas criativas. Lu é dançarina, casada com um personal trainner, mãe de dois meninos e era dona de um brechó até uns 6 meses atrás. Alessandra é pedagoga, casada com um músico e mãe de três. Já viu por aí que achar tempo para produzir e empreender todo mundo pode, não é? Ale conta que antes da marca atual, já explorou o mercado do artesanato ao desenvolver peças em madeira e tecido e também na criação de acessórios. Porém, não se sentia satisfeita com os ofícios.

Depois de conhecer a Lu e unir forças no empreendimento brechó, surgiu a chance de fazer um curso de bijuteria têxtil, coisa que se apaixonou de cara. “Apresentei então pra Lu, que com alma de artista e amante, assim como eu, do reaproveitamento de materiais, reciclagem e muita criatividade, amou na hora e abraçou a causa comigo.” Surgia assim a Mil Fios Acessórios, que tomou o lugar tanto dos brechós como dos acessórios tradicionais. Mergulharam nos fios e nas suas várias possibilidades com os dreads têxteis.

Mil Fios, a menina dos olhos

Para a criação das peças da marca, a dupla trabalha com cordão de algodão de milímetros diferentes, pedras naturais, linhas de diversos tipos, de cetim, algodão, seda, lãs, viés, retalhos de tecido como seda e viscolycra, miçangas, canutilhos e pedras naturais. Além disso, também reaproveitam restos de novelos e desmanchamos gravatas de seda para alguns modelos. Muito legal esse upcycling criativo!

Nossa imaginação transborda quando estamos trabalhando. A marca virou nossa menina dos olhos!”  Contam que enquanto criam uma peça, já surge ideia para muitas outras. “Cada vez que saímos para as compras de material, batemos o olho em algumas linhas e a peça já aparece pronta na nossa cabeça. Isso é muito bom!

Técnica versátil

A técnica para todas as criações se baseia em dreads têxteis, que oferece muitas possibilidades de trabalho. Com ele podem fazer pulseiras, brincos, colares, cintos… E então acrescentam pedras, em alguns modelos, o capim dourado e muita criatividade!

Onde encontrar 

Hoje a Mil Fios tem loja online, apresenta suas peças no Instagram, marcam presença no aeroporto do Rio de Janeiro e já embarcaram para Alemanha recentemente. Ale e Lu comemoram a possibilidade de apresentar cores e texturas brasileiras na Europa!

Passeando por tanto entusiasmo e criações caprichadas, é ou não motivo de comemoração? Fico feliz de conhecer o trabalho de vocês e desejo vida longa à produção da Mil Fios!

Materiais
31 jul 2017

Maxi tricô conquistou as casas

Alerta tendência Pinterest na área! Maxi tricô conquistou as casas dos millennials (geração Y ou também chamada geração do milênio!) Tricotar não é mais um hobby de vovó. Millennials agora também estão procurando por novas maneiras de tricotar itens para incorporar a técnica em casa.

Pinterest, o aplicativo que nos permite organizar referências e ideias em pastas, está vendo o tricô como uma tendência! É ficar de olho aberto! No Brasil, o número de pessoas salvando ideias sobre tricô de braço aumentou 75% nos últimos seis meses, enquanto as buscas por mantas de maxi tricô teve um crescimento de 55% nos últimos três meses.

Vamos ver muitas ideias com esse tema e tendência handmade?

Ideias de tricô que são tendência no Brasil no momento:

Tricô de braço

Manta de maxi tricô

Coelho de tricô

Cama para pet

Tricô também na mobília

Fica a dica para quem procura novas formas de aquecer a decoração da casa ou uma nova técnica artesanal para aplicar (e investir!)!

DIY
30 maio 2017

Caixinha de fotos com apliques de scrapbooking

Recentemente, precisei fazer um presente para uma pessoa especial. Seria uma caixinha de fotos para colocar algumas fotos impressas, coisa rara que, se a gente não faz logo, perde lindos momentos em nosso celular. A ideia já estava certa, mas faltava uma forma fofa de compor essa lembrança. Para tanto, tratei de dar função nova a uma caixa em mdf e alguns apliques de scrapbooking que tinha arrematado.

Registrei o processo para esse DIY fácil e gostoso de criar! Fica como sugestão para quem também ama colecionar recortes e elementos de papelaria!

Caixinha de fotos com apliques de scrapbooking: materiais

Reúna uma caixinha em mdf, fita banana, tesoura, elementos de scrapbooking ou recortes de uma folha decorada, tags, envelope, mini pregador, caneta Posca e barbante ou fio twine para fechar o envelope. Esses eram os detalhes que tinha aqui e resolvi usar, mas você pode ter outros e compor a sua forma!

Materiais diversos para a criação da sua caixinha de fotos

Para criar um relevo na tampa, cole os elementos com fita banana. Comece com uma base com tag ou papel retangular.

Continue a decorar com outros pedaços de fitas e mais detalhes de papel. Crie desenhos e escreva uma mensagem com a Posca.

Finalize com um título ou tema para as fotos da caixinha ou ainda o nome da pessoa que receberá o presente.

Eu ainda fiz um cartão e coloquei dentro do mini envelope e fechei com o fio twine. Tudo bem personalizado e carinhoso! Quem não curte oferecer e receber um presente assim? Coloque as fotos impressas dentro da caixa e está prontinho!

Você pode ver a função original dessa caixinha aqui nesse passo a passo de flâmula e também saber mais sobre fio twine neste post sobre materiais. Boa criação!

DIY
12 maio 2017

Coração de feltro bordado com fitas: passo a passo

Recebi um dia desses algumas sugestões fofas de passo a passo para o presente de Dia das Mães! Como o Cola sempre vai dar preferência a criações manuais, não pude deixar de analisar os projetos do Clube de Artesanato das Fitas Progresso com todo carinho. Ainda mais nessa minha primeira comemoração com filhote de quase 4 meses e toda emotiva com a data! Escolhi apresentar o coração de feltro bordado com fitas!

O resultado do passo a a passo é super charmoso e é possível fazer variações de acordo com sua habilidade com as agulhas e gosto.

Eu mesma colocaria como recheio uma erva aromática e transformaria num gostoso sachê, como já mostrei em um passo a passo há bons anos aqui. Vamos ver a execução em fotos?

Tenha em mãos feltro da cor escolhida, fitas, enchimento, tesoura, molde de coração, linha e agulha.

Para quem tiver qualquer dúvida do processo, basta ir na postagem original no portal da marca e ver  mais detalhes. Fica a sugestão para um presente carinhoso, econômico e que certamente vai arrancar suspiros!

outras sugestões de presentes feitos à mão e ainda dá tempo de correr para o armarinho mais próximo e se abastecer para colocar a mão nos materiais! Oba!

E para quem ficou curiosa(o) com a minha sugestão de sachê de tecido e ervas, aqui está um passo a passo com lavanda que publiquei logo após uma viagem à França! Oh là là!

Passo a passo de sachê com lavanda