viagem
19 fev 2014

Lenço dos namorados: tradição portuguesa que estampa peças atuais

Trato é trato: prometi que o Cola iria na bagagem na última viagem e ninguém aqui falou que o passeio acabou para o blog. Portanto, todo mundo ainda disposto para saber de mais achados e descobertas?

No capítulo de hoje, voltamos à terrinha, já que Portugal tem muita criatividade e história de manualidades para nos encantar. E é a tradição do “lenço dos namorados” que me fez maravilhada a cada lojinha típica portuguesa.
O costume romântico era o seguinte: meninas portuguesas (principalmente da região do Minho) quando estavam “na idade de casar”, e se encantavam por um rapaz, começavam a bordar lenços quadrados com dizeres e desenhos para oferecer ao pretendente. A peça não só era usada em suas vestes como também deveria ser usada pelo moço se esse aceitasse o flerte. Lá pelos séculos XVII – XVIII, se o pretendente não portasse o adereço publicamente era sinal de que o caso não estava lá muito recíproco… 

Não é um amor essa tradição? 

Deste período em diante, a cultura só ficou mais popular e logo se tornou um símbolo da arte portuguesa, rica em bordados e detalhes. Hoje, os desenhos de corações e os versos cheios de sentimento podem ser vistos em bolsas, acessórios, decoração, nos famosos galos e também estampados na cortiça.


A cada vitrine que via uma nova variação, dava um sorriso! Como é gostoso perceber um hábito importante na história de um país e mantido com carinho. Aqui em casa, em território tropical e colorido, já assumi a tradição na forma de toalha de mesa. Mas confesso que a vontade era ter trazido na mala um de cada tipo de produto… 

Quem aí já conhecia de longa data este costume? Você já criou algo com este desenho ou tem qualquer peça com o tema?
viagem
09 fev 2014

Em Porto e a cores! #colavoyage

Uma vez em Porto, sorria e seja tão simpática e solicita quanto os “tripeiros”, cidadãos da cidade! E mais: faça o mesmo para os guarda-chuvas e para cada gotinha de chuva, tá? Porque é uma constante, ao menos no úmido inverno, e não é isso que vai atrapalhar o passeio! :) 

À beira do Douro, as fachadas cheias de detalhes, a estação de cair o queixo São Bento, as muitas praças verdes e as subidas e descidas com vistas lindas nos encantaram.

Lembram-se dos brinquedos com cubos coloridos para empilhar e formar uma cidadezinha com tuneis, torres e igrejas? Porto poderia ser uma inspiração! Tínhamos ouvido que por ser mais ao norte (bem mais gelada!), é uma cidade mais cinza que Lisboa, menos alegre em termos de arquitetura… Mas, se puder discordar apenas com pouco mais de dois dias de pernadas, o faço. É charmosa demais e muito colorida! Uma delícia passar o dia andando por suas ruelas e avenidas.

Ah, e tem outra particularidade que adorei (mas não sei se é muito querida por quem lá vive): as gaivotas estão por todos os lados! Mais que cachorro ou gato, são mascotes das ruas. Ficam paradas em cada telhado, sobre os carros estacionados e disputam com as pombas as migalhas nas praças. Tão bonitas! Ainda vou procurar saber mais, mas me parecerão bem inofensivas… 

Foi em Porto que descobri o significado de “retrosaria”, um sinônimo para armarinho e pude visitar uma bem fofa na Rua das Flores (mostro em um próximo post!) e amei ver o quanto a cultura do artesanal é forte e presente. Há casas variadas com artesanato do país (uma em especial é a A vida Portuguesa que também vai ganhar conteúdo), intervenções com tricô e renda nas árvores e as vitrines são cheias de artigos que enaltecem os azulejos, bordados e cortiça. Alguém aí sabe porque esse último material é tão usado no país? Vou separar as fotos com bolsas, sapatos e objetos de decoração que cliquei.

Mais à beira do rio, na Ribeira, perto da ponte Luís I, são essas cores todas que alegram o rio com a correnteza mais forte que já vi! Neste dia, os rabelos, barco típico da região, estavam proibidos de navegar e uma cheia já havia sido anunciada. Devolvemos o ticket do passeio com prazer, rs. Nada como curtir a vista com o pé no chão, certo? E que vista!


Já de volta à Paris, conto que o sabor amadeirado e essas cenas vão deixar saudades! Beijo para vocês e um gole de vinho do Porto na versão branco e tinto. Espero que estejam gostando da #colavoyage. =)

Dicas de passeios inusitados para gente e que marcaram nossa estada: 
*tapas variadas cada uma por um ou dois Euros na Casa Santo António
*visita guiada na cave Sandeman para conhecer o processo de produção e história do vinho do Porto e marca
*centro comercial do Clérigo – a passagem é linda.
*livraria Lello e irmão – que sabe Deus porque é tão rígida e não permite nem foto com iphone.
*mais algumas ainda viram post!
viagem
06 fev 2014

Visita à Sintra: Palácio da Pena colore os dias mais cinzas!

Nem tudo são pastéis de nata (mentira!) e nem todos os dias nascem com o céu azul da cor do mar! “Cá” em Portugal, ao menos, o clima resolveu nos presentear com dias bem úmidos e friorentos. Porém, uma visita a cidade vizinha de Lisboa, Sintra, é capaz de encher de cor qualquer tempo cinza. Quer ver? 

Chegamos ao vilarejo de trem, o “comboio” leva pouco mais de trinta minutos da estação do Rossio por menos uns dois Euros. Coisa linda. Logo ao desembarcar, foi fácil ver como o centrinho é cheio de casas charmosas. O nosso programa escolhido foi conhecer o Palácio da Pena, residência de verão de Fernando II e Maria II, construída lá pelos anos 1845. Por ser mais recente e propriedade de um rei considerado “artista”, a estética mista e com muitas excentricidades chama atenção. Certeza que as paredes vermelhas e amarelas e os vários azulejos diferentes vibram com um ceuzão azul, mas mesmo com o sol tímido, tudo nos agradou demais!

É interessante notar o mix de padronagens e texturas, além das culturas que se conversam pelos cômodos. O arquiteto responsável pela construção era alemão, o palácio considerado um exemplar do romantismo português, com ares árabes, elementos mouros. Beijos especiais para os azulejos mil que encapam as paredes, além das louças e lustres glamourosos! Tudo com um aspecto kitsch que sempre tanto me atrai. : )

Além dos escritórios e quartos mobiliados, pátio interno e sala de baile de cair o queixo, o parque e jardins deixam o passeio ainda mais bonito: o paisagismo exótico é de bater palma! Nos surpreendemos muito com a vegetação.



Tem de camélias a costelas de Adão e espécies de palmeiras, tudo tão variado quanto a arquitetura da humilde casinha. ;) Ah, mas úmido e digno de frio na barriga nas vistas no topo da colina na mesma proporção. Como o parque da Pena e o castelo ficam no alto de um morro, o visual ainda traz de bônus uma vista linda até o Atlântico.

Pedimos licença a Maria II (filhota de D.Pedro I, do Brasil) para tirar uma #selfie em seus aposentos! Devia ser um pouco vaidosa, viu? A penteadeira e sala de vestir não deixariam a desejar para nenhuma blogger bacanuda de moda. rs

A noite fria aqui em Porto pede umas horinhas de descanso depois de mais um dia looongo de viagem… Mas mando meu muito obrigada para cada amiga-cola-leitora que deixou dicas para a estada em Lisboa. O período foi curto para tanta sugestão, mas ainda verão mais passeios por aqui!

E para fechar o programa em Sintra, ficam as excelentes sobremesas da região: travesseiros de Sintra e queijadinhas. Tudo da Fábrica da Sapa, uma confeitaria tradicional da cidade. O nome curioso? Parece que a antiga quituteira tinha certa semelhança com o anfíbio, baixinha e fofa… ;)  Mas, olha, ai, ai, como estes portugueses são bons doceiros! O primeiro é um folhado dos grandes com creme de ovos moles e o segundo um pastelzinho com recheio de feijão e algum segredo… Para variar: “Ai, Jesus!” Haja subida e descida e frio para compensar! Ah, e vinho do Porto para acompanhar (mesmo que de marca desconhecida!)!

Torçam para o sol voltar amanhã e conto mais sobre nossas descobertas muito em breve! Beijos da #colavoyage e fiquem de olho no instagram e fanpage. Adoro tê-las como companheiras de viagem! Além desta caçula queridíssima que é a melhor guia que poderia ter até mesmo fora de seus domínios. ;)

P.S.: Quem achou os bonecos no castelo de papel um “estranho no ninho” no meio das imagens acertou. hehe O clique é na lojinha do palácio e registrei para mostrar que ideia mais criativa para a brincadeira das crianças, uma caixa com dois andares, toda ilustrada… Et, voilà, verdadeiro castelo para qualquer pequeno. Cola-amou.