passeio
03 ago 2021

O que fazer em Cunha com ou sem crianças – parte 1

Curtir a visão das montanhas de Cunha é sempre uma boa ideia, seja no inverno ou meses mais quentes! Já tive a oportunidade de ir em épocas diferentes e achei tudo tão charmoso quanto! Mas… Não posso negar, nessa última visita, com a chance de curtir uma verdadeira cabana com lareira particular aquecendo todos os ambientes, foi ainda mais especial! Vamos a algumas dicas do que fazer em Cunha com ou sem crianças?

Confesso que nessa segunda visita à região de Cunha, tive dificuldade de achar boas dicas de passeios e me prometi de relatar nossos achados no blog para quem for conhecer e também guardar para próximas viagens! Registo abaixo onde nos hospedamos, o que mais gostamos de visitar e o que deu super certo com um pequeno arteiro de 4 anos como cia fundamental da viagem! Vamos lá?

Nossa hospedagem: Fazenda Alvorada – Cunha

Procuramos muito onde ficar dessa última vez! Apesar de ter bastante opção na região, fomos criteriosos na escolha e queríamos algo que permitisse privacidade, segurança e também um conforto maior que quarto de hotel. Encontramos o equilíbrio perfeito no Hotel Fazenda Alvorada! Nossa escolha foi alugar um dos chalés (o nosso foi o Chalé do Lago!) e então pudemos ter o conforto e espaço de uma casinha inteira para gente, mas a comodidade de limpeza, serviço de quarto, roupa de cama e café da manhã de hotel. Genial, né? Para mim, melhor combo!

O melhor de tudo era a localização desse chalé e vista que permitia: estávamos rodeado por eucaliptos, pastos, áreas verdes e um lago! Nenhum quarto ou casa vizinha e muita tranquilidade! Porém, com a segurança de uma sede próxima e ainda possibilidade de refeições agendadas na própria fazenda. Isso facilitou demais a vida com o pequeno e pudemos fazer passeios apenas parte do dia e garantir almoço e jantar deliciosos logo ali! Aliás, além da chance de ver os animais de perto, o visual super bem cuidado, o atendimento atencioso dos funcionários, a alimentação é um super ponto alto. Café da manhã generoso e pratos caseiros muito gostosos com ótimo custo benefício. Para ter tranquilidade para comer com crianças. é excelente pedida!

Aliás, tem piscina, campos para correr, jogar bola, curtir os cachorros da fazenda, cavalo e caminhadas entre os vastos pastos!

Para verem localização, tipos de acomodação, como chegar e valores, o link do Booking está aqui. Vale mesmo o passeio e estada! Tanto para curtir o dia por lá num ambiente super tranquilo e acolhedor como para passear pela região e voltar a ao fim do dia para uma noite com lareira, seja nos quartos, seja nos chalés. Falei passeios? Sim, Cunha tem uma estrada maravilhosa que leva a diferentes destinos acolhedores, na cidade e em seu entorno!

Vou começar pelo mais buscado e nossa principal motivação para retornarmos para Cunha nesse inverno: O Lavandário!

O Lavandário – Cunha

Destino certo de todo mundo que ama lavanda, seu aroma e propriedades e também todo mundo que quer se sentir um pouquinho na Provence, na França, sem sair do estado de São Paulo.

Para mim, O Lavandário foi um programa que me surpreendeu eu todos os aspectos: organização, estrutura, beleza, acesso – tudo agradou e superou minhas expectativas! Para chegar no local já é um colírio para os olhos: a estrada chamada Estrada Real que dá acesso ao Lavandário a partir de Paraty (um dos trajetos mais lindos!) está super segura e com ótima pavimentação. Acho o visual lindo da mata e apesar das curvas, é uma viagem relaxante! Fiz um Reels no Instagram para mostrar um pouco do clma em vídeo. Clique para ver!

Logo na chegada, o custo de 15 reais por pessoa para acesso (crianças e idosos não pagam) é justíssimo e acessível. Fora de períodos de férias, o cultivo abre para visitação de sextas e fins de semana. Vale checar sempre no site! O estacionamento está contemplado no valor e é simples parar o carro na área perto à estrada ou subindo a ladeira para quem quer poupar caminhada. Com criança no carro há horas, subimos a pé e já fomos curtindo o visual e aroma das flores!

Vamos começar a falar delas, as protagonistas? As lavandas estão por todos os lados e não há risco de não vê-las em flor! Há uma rotação de plantio e sempre há canteiros repletos de lavandas roxinhas! A paisagem é indescrtível. Eu fiquei sem ar e emocionada, de verdade. Estar lá era algo que eu desejava há muito tempo e curtir a vista infinita para as montanhas, perceber cada variação de lilás das lavandas e ainda ter o adendo do aroma que não imaginava ser tão presente foi realmente inesquecível.

Todos os canteiros contam com placas sobre cada tipo de lavanda, seu uso, o trabalho das abelhas. Achei um passeio gostoso para família toda! Apesar de não podermos contar com plenitude quando estamos com crianças, não é? Meu filhote de 4 anos ficou bastante enfezado com as companheiras abelhas e não foi uma tarefa fácil distraí-lo do inseto… Mas imagino que as horas de estrada contribuíram um pouco com a irritação. Mesmo assim, ele adorou o visual amplo e adorou parar a cada banco para curtir a vista!

Além de contemplar paisagem e canteiros, há um café com bebidas e quitutes preparados no local – só provei chá gelado de hibisco e lavanda – e amei – e uma loja encantadora com tudo que pode imaginar com o insumo local. Me esbaldei. Trouxe pra casa sabonetes, aromas, sprays, além da própria flor seca.

Nossa visita durou pouco tempo mas rendeu memórias incríveis e lindas fotos! Foi demais ver o cuidado com tudo no estabelecimento e a possibilidade de curtir de forma acessível um local tão bem cuidado e desenvolvido!

Para nós que nos hospedamos na Fazenda Alvorada, chegamos em nosso destino final em uma horinha a tempo de curtir o pôr do sol. Chegamos próximo ao almoço no lavandário e foi um período excelente. Há muita gente que faz bate e volta quando parte de SP e me parece possível caso esteja sem crianças ou se forem um pouquinho mais velhas que meu mascote. Tenho certeza que o respiro e horizonte vão fazer valer as horinhas de estrada! Vale dizer que não pude curtir o pôr do sol por lá (uma hora cheia e disputada, viu?) mas deve ser de tirar o fôlego!

Será que animei vocês a irem para Cunha nessa primeira parte? Deixo vocês com gostinho de quero mais e volto para falar de outros programas!

Outra dica de hospedagem:

Relembro aqui onde nos hospedamos na primeira ida a Cunha quando meu filho tinha pouco mais de seis meses. É uma linda opção em casal ou com bebês, por não aceitar crianças por questão de segurança. Uma delícia rever!

Deixe seu comentário
* Não será divulgado
Para usar avatar, cadastre-se com seu email em gravatar.com

Comente pelo facebook
0 comentários