Dicas
20 ago 2021

Bons motivos para trocar seu absorvente por calcinhas Pantys: relato pessoal

Quando falávamos de sustentabilidade e conforto nos períodos menstruais podemos considerar que era um assunto muito distante, do que da forma que podemos falar hoje! Se você segue comprando os mesmo absorventes e reclamando dos mesmos problemas, te conto que pode mudar isso já! Existem diversas pequenas mudanças que podemos fazer que impactam e muito o nosso planeta e também em nosso bem-estar! Posso tentar te convencer a usar calcinhas absorventes? E hoje essa é minha pauta: bons motivos para trocar seu absorvente por Pantys.


Você sabia que os absorventes descartáveis demoram 500 anos para se decompor no meio ambiente? Você já parou pra pensar quantos absorventes descartáveis você já usou durante toda a sua vida? Em média, cada brasileira joga 3kg de absorvente no lixo por ano, em toda a sua vida gastará mais de 130 kg de absorventes, de acordo com pesquisas do Recicla Sampa.


Minha experiência coma substituição de absorventes descartáveis por calcinhas

Apesar dos absorventes descartáveis ainda serem usados pela maioria das mulheres durante o período menstrual, ele impacta negativamente o meio ambiente e pode promover inúmeras alergias e incômodos. Tem mais alguém aí nesse time? Quando chegava nesse período, socorro! Sempre sofri com espinhas, alergias na pele, além do desconforto pelo uso e trocas. Até que veio uma maravilhosa solução para esses problemas e aqui estou parecendo aquelas propagandas de tevê “resolvemos todos os seus problemas”, mas, desculpa o clichê… Foi isso mesmo! As calcinhas absorventes da marca Pantys resolveram totalmente meu desconforto. Nunca mais tive alergia, não aperta e me sinto confortável sem relacionar mais esses dias de período menstrual com incômodos e momentos de chateação.


Quais eu compro? Como funciona? Como lavar?

Você deve estar se perguntando tudo isso, né? Assim, como eu me perguntei! Vamos descobrir tudinho juntas! Rola o dedinho pra baixo aí! Como funciona a calcinha absorvente?

Mágica? Quase isso! Produzida com 5 camadas, possuem tecidos de secagem rápida, impermeáveis, respiráveis, biodegradáveis e anti-bactérias, que absorvem todo tipo de líquido, como menstruação, suor, escapes leves de bexiga, corrimento e outros fluídos naturais! Ah, e um detalhe bem legal: todos os forros absorventes internos são de tecido preto, o que faz a experiência mais confortável e limpa, diferente do que sentimos com absorventes simples.


Como lavar: o ideal é termos no mínimo duas, enquanto uma lava a outra você usa! Se tiver um fluxo
grande, como eu, o recomendado é ter 3! O cuidado delas é fácil, fácil, sabe aquele cuidado que você tem que ter com peças delicadas? É igual! Cuidando com carinho, as calcinhas Pantys vão durar em média 50 lavagens.

Qual comprar: A Pantys tem alguns modelos de acordo com o fluxo. Isso já da um alívio para quem por exemplo
temum fluxo super intenso como eu. Don’t worry! Tem uma calcinha ideal para cada experiência.

Vamos aos modelos: para os fluxos noturnos, eles têm a dreamer, pode dormir e sonhar à vontade, suas noites de dormir apenas de ladinho para não vazar acabaram! Ele é meio calcinha, meio shorts. Possui uma maior área de absorção, por conta de sua modelagem ser maior. É um conforto total! Para os fluxos intensos, assim como o meu, essa é ideal: a slim! Ela não é um shorts mas sua modelagem é grandinha. Proporciona cobertura total e tem uma asa delta sutil, garantindo um design moderno! Para fluxos moderados, a calcinha biquíni é um dos queridinhos. A modelagem é super moderninha e atende muito as nossas necessidades! Tem tudo no site e venda online.

Eu ouvi empolgação, aí? Já te convenci a trocar o absorvente descartável para a calcinha absorvente? Vamos pensar mais no meio ambiente e conhecer melhor nosso corpo! Eu senti isso e foi uma excelente experiência. Vamos nessa? Ah, antes de partir: tem kits e o O.B sustentável! Vai lá no site e volta para me contar se a troca valeu a pena! E… isso não é publi, é conselho sincero!

Moda Criativa
17 ago 2021

Colorimetria pessoal: o que você sabe sobre o tema?

Por trás dessa telinha e em frente a várias letras desse teclado, escreve uma colorista pessoal recém formada e que vai mostrar um pouquinho dessa recente paixão que parece que há anos já faz parte da minha vida! Quando nos deparamos com um novo interesse que faz nossos olhos brilharem é assim, não é? Mas antes de contar sobre mim, vamos ao tema… Você já ouviu falar em colorimetria pessoal ou coloração pessoal?

O que é colorimetria ou coloração pessoal


A coloração pessoal é uma das etapas da consultoria de estilo que serve para descobrir quais as melhores cores para cada cliente de acordo com o seu tom de pele! Uma análise que não serve para limitar, mas servir como recurso de autoconhecimento. Parece difícil decifrar nossa cartela, né? E é mesmo, mas é uma questão de treinar o olhar!


Quando falamos em cor no meio da moda, há alguns mitos e verdades. Um deles é que o preto emagrece e o branco engorda. Existem cores que não caiem bem para alguns tipos de pele, como por exemplo as quentes e neutras quentes! Eu sou neutra quente e não tenho nem preto e nem branco na minha cartela. SOCORRO!! Calma, temos alguns truques para você continuar usando o pretinho que tanto ama. Vou explicar tudinho, fica com a gente!


Vamos lá, primeiro passo: Como ela é feita a análise de cores?


Os testes para a análise da coloração pessoal são feitos através de bases de tecidos de cores específicas que fazem a cor do rosto reagir de formas diferentes, mostrando ou escondendo as “imperfeições” do rosto. Quando colocamos o tecido que tem as mesmas características da pele da cliente, com toda a certeza ele irá valoriza e harmoniza todos os seus traços. Gostoso, né? Esses testes são sempre regados de muito carinho e leveza!


AI MEU DEUS, AMO UMA COR E ELA NÃO ESTÁ NA MINHA CARTELA, E AGORA?!


Calma, pra tudo tem uma solução! Eu quando fui fazer o meu teste, também fiquei apavorada, me questionando se teria que trocar tudo do meu guarda roupa. Óbvio que quando a gente vê o resultado do teste, a gente vai querer trocar tudo e só andar naquela cartela…. Mas, sem necessidade, tá? Se você está se sentindo bem usando a cor que não está na sua cartela, está tudo bem! O importante é se sentir bem e gostando do que vê e veste!


Vamos aos truques básicos e infalíveis para continuar usando cores que não estão na sua cartela e você ama.

  • Use as cores de maquiagem que estão na sua cartela;
  • Use as cores ou tonalidades que não estão na sua cartela na parte de baixo do corpo.
  • Use uma sobreposição de uma cor que esteja na sua cartela;
  • E, por fim, use os acessórios da sua cartela.

Esses 4 truques simples ajudam a suavizar o efeito negativo da cor! UFA! Podemos usar o preto e o branco ainda, caso ele não esteja na cartela!

E como combinar cores?

Vamos para a parte que mais amo, combinar as cores e o uso do circulo cromático, depois de descobrir a suas cores. Para quem não conhece, o círculo cromático é uma das ferramentas de trabalho mais importantes para quem trabalha com cor, moda e design.

O círculo cromático nada mais é que cores primárias, secundárias e terciárias. Essa cartela nos mostra suas cores e tonalidades, e de acordo com a forma como você as coordena, o seu look pode ser mais elegante ou mais criativo, mais jovem ou mais maduro, e por aí vai… Depende do gosto e da combinação de cada um, falando por mim, eu amo um look todo colorido! Com análise e estudo!


Mas, ai surge a pergunta: por quê fazer a coloração pessoal?


Além de eu já ser apaixonada pelo mundo das cores, a coloração só traz vantagens. Usar as cores certas para você terão efeitos positivos como:

Pele iluminada, suaviza olheiras, disfarça o aspecto de cansaço, harmoniza o rosto, disfarça pequenas imperfeições e manchas na pele e deixa o rosto com um contorno bonito!

Você já fez a sua coloração? Já teve curiosidade? Vem se colorir comigo!

Na Prateleira
06 ago 2021

O livro do dia: a influência do grupo como incentivo à leitura

Nem só o rolar acelerado de dedo e as legendas curtas ou inexistentes fazem parte das ações do universo criado pelas redes sociais. Entre lançamentos de marcas, novas tendências de homewear e uma centena de reels com dicas de como emplacar nessa própria rede que você circula, um assunto começou a despontar e ganhar força lindamente: o livro da vez.

Com todos mais reclusos às suas casas ou viagens intimistas, a companhia do livro ressurgiu e se fez presente como objeto de desejo entre as @. Contrariamente ao que se via em rede, onde a legenda vai sendo substituída por áudios acelerados ou palavras-chave sobre vídeos que marcam o compasso, a recomendação de leituras profundas e discussões sobre autores surge como um respiro. E a aparição não veio em casos isolados: os clubes de livros pipocaram entre os mais diferentes nichos digitais, as assinaturas de livro se tornaram mais recorrentes e agora, as lives ainda passaram a ser palco para encontros entre leitores e trocas sobre impressões do livro escolhido do mês.

Tem forma mais incrível de se presenciar o poder do grupo para uma boa influência? Perfis com audiências massivas puderam adentrar a uma nova e antes não desbravada faceta para seus espectadores: o livro que estava na sua bolsa ou cabeceira naquele momento. Quais trechos o faziam refletir durante a manhã? Que capítulo o relembrava um episódio em sua vida? O que o autor traçava de relações com o momento atual? E as impressões que saíam do universo online e cruzavam as fronteiras (nada distantes, vejam!) em direção às palavras escritas no papel seriam capazes de provocar verdadeiras reverberações: comentários efusivos sobre a compra de um novo título, a recomendação de mais um, a troca de ideias sobre a mesma impressão, o complemento com um outro autor ou a comparação com o pensamento em uma série ou filme.

Você já chegou a se deliciar lendo esse bate-papo entre @ em alguma publicação sobre leitura? Recomendo.

Foi assim, que o #livrododia ganhou o digital. Perfis já destinados a resenhas e recomendações de leituras cresceram e ganharam espaço e outros muitos que nada tinham relação com esse segmento, passaram a tratar o assunto com a mesma frequência que o ritual de skincare ou uma nova tendência da decoração à moda. A leitura retomava um lugar no online e convidava a uma pausa, olha só, desse espaço frenético que passou a abordá-la. A pausa que incentiva o compartilhar e o compartilhar que incentiva a pausa. E dessa forma, um equilíbrio de trocas de argumentos e novas ideias podem ser alimentadas, com novas fontes e olhares para diferentes temas. 

E se o grupo tem a chance de estimular a leitura individual, essa nova energia é capaz de mostrar novos hábitos e valores, adentrar a assuntos diversos e ir permitindo que por meio dos livros da vez que surgem e se repetem e ganham # e destaques, importantes discussões venham à tona. E junto com suas páginas e pausas, mais tempo para a reflexão sobre os mesmos e conhecimento mais aprofundado por parte de quem topou o convite e passou a se interessar por essa mídia. Aquela que pode ter ficado deixada de lado por um tempo em que não esteve tão perto dos gadgets da vez. Que pasmem, podem, e agora, caminham lado a lado.

Vai lá:

  • @reesesbookclub: mais de dois milhões debatem mensalmente com a atriz Reese Whitherspoon os títulos escolhidos. 
  • @meucorpoviroupoesia: Bruna Viera do blog foi pro @, do @ foi para o livro e do livro criou um @ – de poesia multimídia.
  • #bookshelf: literalmente estante de livro, a # agrupa o que vai sendo publicado por aí e permite passear por diferentes leituras pelo mundo
  • Podcasts literários: a plataforma Estante Virtual faz uma seleção de podcasts que precisa conhecer dentro do cenário.
  • Bookster: Pedro Pacífico diariamente compartilha resenhas e sua paixão por literatura de forma incentivadora.
  • Books da Luli: dos conteúdos de moda para literatura, a influencer Luisa Accorsi mês a mês discute títulos e agrupa leituras em suas listas na Amazon.
passeio
03 ago 2021

O que fazer em Cunha com ou sem crianças – parte 1

Curtir a visão das montanhas de Cunha é sempre uma boa ideia, seja no inverno ou meses mais quentes! Já tive a oportunidade de ir em épocas diferentes e achei tudo tão charmoso quanto! Mas… Não posso negar, nessa última visita, com a chance de curtir uma verdadeira cabana com lareira particular aquecendo todos os ambientes, foi ainda mais especial! Vamos a algumas dicas do que fazer em Cunha com ou sem crianças?

Confesso que nessa segunda visita à região de Cunha, tive dificuldade de achar boas dicas de passeios e me prometi de relatar nossos achados no blog para quem for conhecer e também guardar para próximas viagens! Registo abaixo onde nos hospedamos, o que mais gostamos de visitar e o que deu super certo com um pequeno arteiro de 4 anos como cia fundamental da viagem! Vamos lá?

Nossa hospedagem: Fazenda Alvorada – Cunha

Procuramos muito onde ficar dessa última vez! Apesar de ter bastante opção na região, fomos criteriosos na escolha e queríamos algo que permitisse privacidade, segurança e também um conforto maior que quarto de hotel. Encontramos o equilíbrio perfeito no Hotel Fazenda Alvorada! Nossa escolha foi alugar um dos chalés (o nosso foi o Chalé do Lago!) e então pudemos ter o conforto e espaço de uma casinha inteira para gente, mas a comodidade de limpeza, serviço de quarto, roupa de cama e café da manhã de hotel. Genial, né? Para mim, melhor combo!

O melhor de tudo era a localização desse chalé e vista que permitia: estávamos rodeado por eucaliptos, pastos, áreas verdes e um lago! Nenhum quarto ou casa vizinha e muita tranquilidade! Porém, com a segurança de uma sede próxima e ainda possibilidade de refeições agendadas na própria fazenda. Isso facilitou demais a vida com o pequeno e pudemos fazer passeios apenas parte do dia e garantir almoço e jantar deliciosos logo ali! Aliás, além da chance de ver os animais de perto, o visual super bem cuidado, o atendimento atencioso dos funcionários, a alimentação é um super ponto alto. Café da manhã generoso e pratos caseiros muito gostosos com ótimo custo benefício. Para ter tranquilidade para comer com crianças. é excelente pedida!

Aliás, tem piscina, campos para correr, jogar bola, curtir os cachorros da fazenda, cavalo e caminhadas entre os vastos pastos!

Para verem localização, tipos de acomodação, como chegar e valores, o link do Booking está aqui. Vale mesmo o passeio e estada! Tanto para curtir o dia por lá num ambiente super tranquilo e acolhedor como para passear pela região e voltar a ao fim do dia para uma noite com lareira, seja nos quartos, seja nos chalés. Falei passeios? Sim, Cunha tem uma estrada maravilhosa que leva a diferentes destinos acolhedores, na cidade e em seu entorno!

Vou começar pelo mais buscado e nossa principal motivação para retornarmos para Cunha nesse inverno: O Lavandário!

O Lavandário – Cunha

Destino certo de todo mundo que ama lavanda, seu aroma e propriedades e também todo mundo que quer se sentir um pouquinho na Provence, na França, sem sair do estado de São Paulo.

Para mim, O Lavandário foi um programa que me surpreendeu eu todos os aspectos: organização, estrutura, beleza, acesso – tudo agradou e superou minhas expectativas! Para chegar no local já é um colírio para os olhos: a estrada chamada Estrada Real que dá acesso ao Lavandário a partir de Paraty (um dos trajetos mais lindos!) está super segura e com ótima pavimentação. Acho o visual lindo da mata e apesar das curvas, é uma viagem relaxante! Fiz um Reels no Instagram para mostrar um pouco do clma em vídeo. Clique para ver!

Logo na chegada, o custo de 15 reais por pessoa para acesso (crianças e idosos não pagam) é justíssimo e acessível. Fora de períodos de férias, o cultivo abre para visitação de sextas e fins de semana. Vale checar sempre no site! O estacionamento está contemplado no valor e é simples parar o carro na área perto à estrada ou subindo a ladeira para quem quer poupar caminhada. Com criança no carro há horas, subimos a pé e já fomos curtindo o visual e aroma das flores!

Vamos começar a falar delas, as protagonistas? As lavandas estão por todos os lados e não há risco de não vê-las em flor! Há uma rotação de plantio e sempre há canteiros repletos de lavandas roxinhas! A paisagem é indescrtível. Eu fiquei sem ar e emocionada, de verdade. Estar lá era algo que eu desejava há muito tempo e curtir a vista infinita para as montanhas, perceber cada variação de lilás das lavandas e ainda ter o adendo do aroma que não imaginava ser tão presente foi realmente inesquecível.

Todos os canteiros contam com placas sobre cada tipo de lavanda, seu uso, o trabalho das abelhas. Achei um passeio gostoso para família toda! Apesar de não podermos contar com plenitude quando estamos com crianças, não é? Meu filhote de 4 anos ficou bastante enfezado com as companheiras abelhas e não foi uma tarefa fácil distraí-lo do inseto… Mas imagino que as horas de estrada contribuíram um pouco com a irritação. Mesmo assim, ele adorou o visual amplo e adorou parar a cada banco para curtir a vista!

Além de contemplar paisagem e canteiros, há um café com bebidas e quitutes preparados no local – só provei chá gelado de hibisco e lavanda – e amei – e uma loja encantadora com tudo que pode imaginar com o insumo local. Me esbaldei. Trouxe pra casa sabonetes, aromas, sprays, além da própria flor seca.

Nossa visita durou pouco tempo mas rendeu memórias incríveis e lindas fotos! Foi demais ver o cuidado com tudo no estabelecimento e a possibilidade de curtir de forma acessível um local tão bem cuidado e desenvolvido!

Para nós que nos hospedamos na Fazenda Alvorada, chegamos em nosso destino final em uma horinha a tempo de curtir o pôr do sol. Chegamos próximo ao almoço no lavandário e foi um período excelente. Há muita gente que faz bate e volta quando parte de SP e me parece possível caso esteja sem crianças ou se forem um pouquinho mais velhas que meu mascote. Tenho certeza que o respiro e horizonte vão fazer valer as horinhas de estrada! Vale dizer que não pude curtir o pôr do sol por lá (uma hora cheia e disputada, viu?) mas deve ser de tirar o fôlego!

Será que animei vocês a irem para Cunha nessa primeira parte? Deixo vocês com gostinho de quero mais e volto para falar de outros programas!

Outra dica de hospedagem:

Relembro aqui onde nos hospedamos na primeira ida a Cunha quando meu filho tinha pouco mais de seis meses. É uma linda opção em casal ou com bebês, por não aceitar crianças por questão de segurança. Uma delícia rever!

Moda Criativa
27 jul 2021

Vitrinismo: dicas para o visual da sua loja

Quem não se encanta com as vitrines bem montadas de lojas e sente desejo naquela peça exposta? Mas afinal, quem faz essas vitrines? Há um profissional apenas pra isso? Digamos que sim! E a sua vitrine é a porta de entrada para a sua loja!

Toda e qualquer forma de exposição de produto dentro de um ponto de venda que leva a imagem da empresa trata-se de Visual Merchandising. Todas as peças e disposição da loja e vitrine são pensadas para estar naquele lugar e gerar o desejo de compra!

Minha experiência prática

Tenho tido a oportunidade de realizar vitrines semanalmente e cada vez mais empregar teoria, amor e referências em prática! Eu sou muito passional e sempre traduzo a paixão pela moda em formato de vitrine. E cá entre nós, quando você faz aquilo que ama, impossível não ter sucesso! Reuni nesse material o que venho aplicando e aprendendo ao longo das composições.

 Vamos de 5 dicas infalíveis para transformar uma vitrine?

A primeira é “saia da casinha” para surpreender

  • Pense nas mais diferentes alternativas que você pode trabalhar, agora é a hora de imaginar e criar looks em que seu cliente sentirá desejo e mostrar aquela possibilidade dos seus produtos para ele.
  • Busque criar composições usando sempre as combinações do círculo cromático, a harmonia entre as cores vai causar mais impacto ao visual.

A segunda é “storytelling” (crie uma história)

O seu cliente muitas vezes não está em busca de um produto e sim de um sonho, uma boa história ou de um lifestyle. Mas aí vem a pergunta “Como eu faço isso?”

O look do manequim precisa ser igual o ambiente da história, por exemplo: um dia de sol pede looks coloridos ou estampados, um dia de inverno, por que não roupas quentinhas e cores que alegram o seu dia nublado? Dê possibilidades para que eles saiam do monótono e possam captar o que desejou contar por meio daquela combinação de peças.

Sempre coordene os produtos por cores!

Lembre-se da harmonizar as cores ao pensar em cada peça exposta, não monte looks de forma aleatória. Sabe o círculo cromático que citei lá em cima? Se tiver dificuldade de compor, ele é um bom aliado, tenha uma cópia com você, pode até usar na tela do celular!

A composição dos looks que você expôs no seu manequim é de extrema importância, porque além de gerar uma sugestão ao cliente para adquirir o look inteiro ou uma das peças, a composição incorreta pode desfavorecer a aparência de todas as roupas na vitrine.

Troque suas vitrines constantemente!

Como a vitrine é a porta de entrada da sua loja, mudá-la constantemente traz a possibilidade de mostrar uma quantidade de peças maior e variedade de possibilidades. Assim, chamando a atenção para o seu cliente entrar e ir em busca do que procura. Varie sempre e pense em diferentes perfis de consumidores!

E a quinta e última, mas não menos importante:

Ame a sua vitrine e faca com amor!

Essa dica pode parece óbvia, mas não é e vale a pena sempre lembrar! Tudo que você colocar amor e dedicação vai ser notado por seu público. Tudo feito com carinho e paixão enchem os olhos, não é mesmo?

Episódio marcante: Lembro a primeira vez que entrei na Galerie Laffayete e observava todas as vitrines, todas me encantaram, não sei se estava deslumbrada com aquele novo universo ou era a paixão, talvez um misto dos dois! E saber a história de amor que tem por trás de todas as roupas dessas grandes marcas de alta costura me fez admirar muito mais cada detalhe que observava.

Vocês também se encantam com grandes vitrines assim como eu? Ainda mais depois de saber toda essa paixão por trás? Minhas vitrines são recheadas de amor e sempre que tiver a chance trago mais dicas por aqui. 

Decoração
19 jul 2021

Casa inteligente: você conhece as facilidades?

Já pensou em ter uma casa totalmente automatizada? Abrir a porta por um aplicativo do smartphone super moderno? Baixar as persianas? acender as lâmpadas inteligentes (com ajuste de cor e intensidade)? Ou ajustar o ar-condicionado na temperatura ideal? Acionar o aspirador-robô para limpar o chão da sala? Preparar o café fresquinho?

A arquitetura, decoração e a tecnologia têm se aproximado cada vez mais. A casa inteligente é a união desses três conceitos. E para unir a tecnologia e a decoração de casa, aqui vai uma dica. Você já ouviu falar em Smart home? Pois é, aquelas casas que víamos nas telas de cinema, têm se tornado mais real do que imaginamos.

Comodidades a um clique!

Uma smart home, nada mais é que, uma casa capaz de realizar diferentes tarefas pela conexão com a internet, já imaginou? Entenda um pouco mais do que é uma casa inteligente. Vários serviços e comodidades que podem ser controlados a distância. Tornando cada vez mais prática todas as funções da casa, inclusive aquela parte da limpeza, que não é a tarefa preferida de muita gente… Já imaginou terceirizar ela para um robô?! Dá uma espiadinha aqui nos produtos smart home  e já garanta o seu produto para terceirizar outros serviços.

Mas o que significa automatização?

“Execução automática de tarefas industriais ou científicas sem intervenção humana intermediária, desde o mais simples, como a regulação da temperatura de um forno, até aos mais complexos, como os que são geralmente assumidos por ordenadores para a gestão de um estabelecimento de crédito.”

Para quem ainda não automatizou a casa, mas tem essa vontade, por onde começar? Vem ver essas dicas para começar a deixar a sua casa cada vez mais inteligente. TV, aspirador robô, luzes, câmeras de segurança, cortina, fechadura digital, interruptor e cafeteira.

Bom exemplo: Olha que aconchegante, se você é uma pessoa que gosta de acordar cedo, com o raiar do sol, e tomar um café. Neste caso, valeria a pena começar pela automação da sua cortina e cafeteira. Já pensou que delícia acordar e já ter aquele cheirinho de café fresco pela casa?

Para começo e automatizando com esses nove passos, você consegue montar uma casa inteligente que se adequa às suas necessidades e preferências. Além de tornar tudo mais prático, com a Smart Home você tem mais conforto e segurança, já que consegue controlar com seus aparelhos e a distância.

Comece aos poucos a mudança!

O melhor de tudo é que você pode começar aos poucos, com uma lâmpada, e ir adicionando novos itens, conforme a sua necessidade e orçamento.

Dúvida: Mas, eu não tenho casa e tenho apartamento e alugo o meu apartamento por air bnb, eu consigo automatizar? Sim, a facilidade vem de todos os jeitos, já pensou que você não precisa ter o encontro com hóspede para entregar a chave? E ele fará o check-in no momento mais oportuno! Isso sem dizer como o visitante ficará encantado em ter tanta tecnologia disponível, né?

Onde adquirir

A Webfones loja oficial é o maior portal especializado em Telefonia e Games no Brasil; Possui a maior variedade de celulares, acessórios, smartphones e tablets do mercado online nacional; Possui Gift card; Todas as ocorrências que envolvam troca ou devolução devem ser feitas no prazo de até 7 (sete) dias, a contar da data de entrega; Pagamentos no boleto bancário, cartão de crédito, cartão de débito e pix.

Viu como existem bons motivos para investir em uma casa inteligente? Nos conte sobre experiências com essa nova possibilidade para casa!